Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Somente com leis mais duras é que será possível combater a violência, a criminalidade e a impunidade. Esse é o motivo pelo qual Keiko Ota integra, como titular, essa Comissão. Ela também foi membro do colegiado em seu primeiro mandato. “Participar dessa Comissão é um reconhecimento ao trabalho que venho desenvolvendo a favor de leis mais duras, como a reforma do Código Penal, para termos punições rigorosas para os crimes hediondos e contra a vida”, afirma.