Outras ações

Comissão de Educação

“Acredito na educação como um meio fundamental para reduzir os índices de violência no país. Para tanto, é preciso recuperar o espaço da escola como polo irradiador de valores associados à solidariedade e à cidadania, preparando nossas crianças e jovens para encarar, com o devido respeito e dignidade, os desafios do mundo”, aponta a deputada federal Keiko Ota. Ela ainda defende a capacitação e valorização dos profissionais que atuam na educação e a participação de pais e alunos em conselhos de escola, de modo a diminuir a violência no ambiente escolar e nas comunidades locais. “A educação brasileira precisa ser efetivamente universal e de qualidade em todos os níveis, indo da pré-escola ao ensino superior”, diz. A parlamentar é suplente da Comissão – cargo idêntico ao que ocupou em seu primeiro mandato.

Grupo Parlamentar Brasil-Japão

O objetivo é intensificar o intercâmbio entre a Câmara dos Deputados e o Parlamento japonês, além de colaborar para estreitar os laços de amizade que unem o Brasil e o Japão. “Para isso, entre outras questões, precisamos apoiar e preservar a tradição da cultura oriental junto às comunidades nipo-brasileiras”, afirma Keiko Ota. Ela fez parte do Grupo Parlamentar Brasil-Japão em seu primeiro mandato e já ocupou a presidência do colegiado.

Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Violência contra a Mulher

Em seu primeiro mandato, Keiko Ota foi vice-presidente da CPMI, que promoveu um grande levantamento, em 2012, da situação em que se encontram as mulheres vítimas de violência no país. Para tanto, ela esteve em diversos Estados para conhecer os serviços de atendimento específicos e conversar com especialistas, movimentos e ONGs. Além disso, teve participação decisiva nas audiências públicas realizadas com a presença do poder público e da população. A constatação é que apesar de ter uma das legislações mais avançadas do mundo (Lei Maria da Penha), o Brasil ainda enfrenta dificuldades para prestar assistência adequada às mulheres vítimas. Uma grande vitória obtida pela CPMI foi a apresentação do projeto que criou a Lei do Feminicídio (assassinato de mulher por questões de gênero), sancionada em março de 2015.

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Ainda em seu primeiro mandato, a deputada integrou essa CPI. “Temos de proteger nossas crianças e adolescentes da violência que vemos no nosso dia a dia. É inadmissível que, em pleno século XXI, ainda tenhamos de conviver com situações bárbaras e degradantes, que colocam em risco a infância e a juventude. Por isso, participei dessa Comissão para tentarmos dar um basta a essa situação”, explica Keiko Ota.

Frente Parlamentar Mista em Defesa das Vítimas de Violência

Logo no início de seu primeiro mandato, a deputada federal Keiko Ota conseguiu aprovar a criação dessa Frente. Ela acabou por presidir esse colegiado, que teve como objetivo unir poder público, movimentos sociais e a sociedade no combate à impunidade. Entre as propostas defendidas constavam o auxílio financeiro às vítimas e seus familiares, a aprovação do artigo 245 da Constituição Federal que garante os direitos dessas pessoas e a criação de secretarias locais e nacional de atendimento multidisciplinar a esse público. Keiko Ota foi responsável, ainda, pela implantação da Frente nos Estados brasileiros: São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Rio de Janeiro contaram com essa importante iniciativa.

Campanha nacional Pelo Fim da Impunidade

Ao perceber a necessidade de garantir punições mais rigorosas na discussão da reforma do Código Penal, a deputada federal Keiko Ota decidiu apoiar, de maneira bastante ativa, a campanha nacional Pelo Fim da Impunidade. A iniciativa, promovida pela União em Defesa das Vítimas de Violência (UDVV), consiste em um abaixo-assinado que pede penalidades mais duras para os crimes hediondos e contra a vida. A campanha, que superou a meta inicial e já conta com mais de 110 mil adesões, tem percorrido o Brasil para obter o apoio da sociedade.

1 2